Carros e carrinhos: uma paixão!

Carlos Bernd – Engenheiro Civil – Aposentado do Departamento de Esgotos Pluviais

Carlos Bernd

Comecei a minha paixão por carros lavando os pneus e as rodas do Austin A70 1950, do meu pai, e do Hudson Pacemaker 1951, do meu avô, no pátio de nossa casa de praia, em Tramandaí.

Alcançando os pés nos pedais, aprendi a dirigir em um Renault Teimoso 1965, do meu pai, na frente da Escola Parobé, em Porto Alegre, quando a Primeira Perimetral estava em construção.

Já havia sido promovido a lavar todo o Renault, pois sabia tirar os grãos de areia dos panos e camurças, para não arranhar a linda pintura, cor cinza grafite.

Mais tarde, o pai comprou um Ford Corcel, pelo Consócio Nacional Ford, e neste carro eu aprendi a tratar a lataria oxidada, com um tipo de convertedor de ferrugem, zarcão universal e tinta automotiva verde.

Na hora de tirar minha carteira de motorista, fui com o pai no pátio do Detran de Porto Alegre, dessa vez, com um Chevrolet Opala 1974. Com uma pequena plateia de candidatos à carteira, todos com Fuscas, fui alertado que não teria sucesso na baliza com o Opala. Chegaram a me oferecer um “Besouro”, um Fusca, para o exame. Teimei e resolvi fazer o teste com o Chevrolet, pois estava acostumado a dirigi-lo. Fui aprovado, obtendo, assim, a minha carta de habilitação.

DESTAQUE

PALAVRA DO PRESIDENTE

ARTIGOS

NOTÍCIAS

SESSÃO CULTURA

SESSÕES ESPECIAIS

Com o tempo, a paixão pelos carros só cresceu. E já que não era possível ter todos os modelos que me agradavam, acabei optando pelas miniaturas. Minha coleção iniciou com a compra de um Peugeot e um Toyota Corolla, os dois na escala 1:18, em uma exposição de carros antigos, no DC Navegantes, na capital. A escala 1:18 significa que a miniatura é 18 vezes menor, nas três dimensões, que o veículo original. Hoje, tenho 835 miniaturas, nas escalas 1:43 e, principalmente, 1:18, essa toda organizada em armários com portas de vidro e por escala. Na escala 1:43, a coleção é exposta em caixas acrílicas. Quando compro carrinhos 1:43 sem essas caixas, eu mesmo fixo o chassi na base da caixa, por meio de perfurações nas peças e parafusos.

Compro as peças diretamente da China. Muitos delas já chegam com necessidade de manutenção, principalmente nas partes de plástico. Quase sempre o problema se resolve com cola Bonder.

Meus carrinhos prediletos são um Hudson Hornet e um Renault Dauphine, muito parecidos com os carros que fazem parte da minha história.

Enfim estas são as principais características de minha coleção!

Fotos: Ana Elisa Franzen Bernd

Hobby | Revista da Astec  v. 23 n. 49 agosto 2022.