• Astec

Faça cerveja em casa

Atualizado: 29 de Set de 2020

Lá pelo ano de 1984, recém-ingressado na Faculdade de Agronomia da UFRGS, chega às minhas mãos uma cópia bem apagada de um artigo de revista intitulado “faça cerveja em casa”. Eu sempre ouvia os relatos de família de que o avô fazia cerveja, lá no interior de Horizontina, e fui atrás dos ingredientes.

Foto Ilustrativa/Freepik

Sérgio Alencar Mielniczuk de Moura

sergiomm@portoalegre.rs.gov.br

Engenheiro Agrônomo da SMAMS


Naquela época, não existiam brew shops (lojas especializadas em produtos para a fabricação caseira de cerveja artesanal), hoje comuns na nossa cidade. Acabei encontrando um kit cervejeiro numa loja de ervas e chás. E lá fomos nós, eu e meu irmão, também calouro na agronomia, tentar decifrar aquelas instruções do manual. O resultado: conseguimos salvar uma ou duas garrafas com um conteúdo que não lembrava uma cerveja. As demais explodiram, pois não dominávamos os processos da fermentação e, por isso, não tomamos alguns cuidados.


Passados alguns anos e muitas cervejas convencionais, chegamos ao tempo em que as microcervejarias se tornaram realidade, depois que muitos “paneleiros” (aqueles que fazem cerveja em casa) fizeram do seu hobby um negócio promissor e nos brindam com uma variedade de cervejas de qualidade.


Após um pequeno curso com um mestre cervejeiro, no ano de 2013, adquiri os equipamentos básicos e, juntamente com alguns amigos apreciadores de uma boa “ceva”, iniciei as minhas brassagens (ou maceração, é a parte em que, por meio de cozimento do malte com água quente, o amido dos grãos é convertido em maltose e outros carboidratos que formarão o mosto). Depois da experiência, eu garanto: com as facilidades de informações e disponibilidade de insumos, hoje qualquer pessoa pode se iniciar nesse mundo das cevas artesanais.


Para aqueles que quiserem começar, segue aqui uma receita básica de uma American Pale Ale (Apa), que é uma cerveja da família Ale (Ipa, Apa, Stout etc.), caracterizada por ser de alta fermentação, podendo fermentar à temperatura ambiente de 18 a 22°C, diferentemente das lagers (pilsners, helles, viennas, bocks, entre outras), que requerem um controle melhor da temperatura de fermentação e maturação. A partir de um processo básico comum, surgem as variações e estilos, como cervejas de trigo, cervejas sem glúten e por aí vai. O passo a passo e os equipamentos básicos necessários podem ser buscados em diversos sites especializados em cervejas artesanais ou no link https://bit.ly/2YUWATM.


Com o tempo, certamente os novos cervejeiros passarão a utilizar um software para elaborar melhor as suas receitas e empregar outros recursos tecnológicos, como refratômetro para avaliar a atenuação e o teor alcoólico, o uso de panelas automatizadas, rampas de temperatura para otimizar a ação das enzimas, manômetro na garrafa para controlar a fermentação etc.


Reúna alguns amigos e boas brassagens!


Algumas possibilidades de harmonização de cervejas artesanais com alimentos

Como regra geral, cervejas leves combinam com pratos leves, assim como cervejas mais fortes com pratos mais temperados.


CERVEJA DE TRIGO OU PILSEN (CLARAS)

Pratos leves com alimentos não muito fortes. Pastéis, aperitivos não gordurosos como queijo, azeitona e mandioca são boas pedidas. Alguns frutos do mar como camarão, lagosta e peixes combinam com esse tipo de cerveja, assim como a ‘comida de boteco’.


IPA (INDIAN PALE ALE)

São bem mais amargas devido à quantidade alta de lúpulo presente na composição. Combinam com alimentos mais temperados e gordurosos, um churrasco ou uma pizza bem recheada formam ótimos paladares.


APA (AMERICAN PALE ALE)

Por possuir um teor de amargor alto, esse tipo de cerveja combina com diferentes tipos de alimentos. Comida mexicana com uso de abacate, carne com chilli, tacos e burritos são boas pedidas para uma APA. Combina também com frango assado, hambúrguer e fritas.


PORTER E STOUT (ESCURAS)

Normalmente com características que lembram café e chocolate, essas espécies combinam com doces, carnes e petiscos. Vão bem com queijos tipo gorgonzola, gouda e parmesão. Em se falando de sobremesas, tortas preparadas com frutas vermelhas ou doces preparados com chocolate combinam com as notas de cacau da cerveja. São inúmeras as combinações possíveis e você pode fazer isso a partir da sua própria cerveja artesanal.


Que tal tentar?



53 visualizações